Sem categoria

Inédita no RS, competição demonstra companheirismo entre humanos e cães

JBS_6881.jpg

Conhecidos como os melhores amigos do homem, os cães também estão entre as grandes atrações da 41ª da Expointer. Pela primeira vez no Rio Grande do Sul, ocorre o Campeonato Internacional de Canicross (corrida em terreno rústico com interação entre dono e cão), organizado pelo grupo Vai Totó, de Porto Alegre. A primeira etapa da corrida ocorreu no sábado (25), na pista dos rústicos, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio.

Ainda pouco conhecida nos pampas, a modalidade proporciona bem-estar entre tutor e animal. O esporte tem origem europeia no treinamento de cães de trenó, permitindo a interação entre os praticantes através de uma corda elástica. A atividade pode ser feita por adultos e crianças.

Canicross tem origem europeia no treinamento de cães de trenó – Foto: Juliana Baratojo/Especial Palácio Piratini

Na edição gaúcha, a competição também incentiva a solidariedade ao arrecadar ração animal e pares de calçados para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade (ONG Renascer da Restinga). O campeonato é da categoria de elite, composta por profissionais com bastante experiência. Serão três etapas no total, e duas delas ocorrem durante a Expointer 2018.

Foram inscritos 19 conjuntos, formados por duplas de cães e seus donos, que vão competir em duplas na largada. Os vencedores da primeira etapa competem no próximo dia 2 de setembro, no encerramento da feira. A final será em 20 de setembro, na capital.

Cumplicidade
“O objetivo do esporte é fazer as pessoas saírem de casa com seus cães. O campeonato internacional é um pouco diferente do que o nosso grupo promove porque é feito para pessoas que já praticam canicross. Geralmente, nas Vai Totó Caminhadas e Corridas temos de 200 a 300 conjuntos participando, de todas as categorias (caminhada, iniciante e elite). É uma prova de velocidade e desafios em duplas”, afirmou o organizador do grupo, Maurício Pinzkoski.

Conforme Pinzkoski, os tutores são pessoas comuns que gostam de corrida e atrelam a atividade ao prazer de acompanhar o cão. Os animais não precisam ser castrados. Para o esporte, são ensinados quatro comandos básicos: direita, esquerda, para e vai. Quanto maior a afinidade, maior o desempenho entre homens e bichos.

Henry Radke, estudante de Medicina Veterinária da UniRitter e adestrador de cães, conheceu o canicross é praticante há dois anos. “É uma baita oportunidade para união do cão com o tutor e para o bem-estar animal. Assim se gasta a energia ociosa do bicho, minimizando aquele cão que tem muita energia e acaba destruindo as coisas em casa”, ressaltou.

Como funciona
São três etapas de três corridas dos conjuntos (tutor e cão) com uma distância aproximada de até mil metros cada. Os confrontos são no formato de baterias que duram, normalmente, cinco a dez minutos, podendo sofrer pequenas alterações de acordo com o clima. Cada conjunto participa de três disputas por etapa.

Na classificação, os conjuntos vão subindo e se reclassificando até a última bateria, que determina o campeão da etapa. São quatro categorias: adulto masculino e adulto feminino, infantil masculino e infantil feminino. A idade mínima para participar é 10 anos para pessoas e entre um e dez anos para cães.

Os conjuntos vencedores da primeira etapa na categoria feminino foram a atual dupla campeã gaúcha, Letícia Casonatto e Pipoca, seguidas por Simone Jablonski e Vitória e Luana Silva e Shiva. No masculino, o atual campeão iniciante, Vitor Salazar e Jowjow, manteve o título, seguido por Cristiano Silveira e Cacau e João Fontoura e Rebeca.

Segurança e bem-estar
Para participar do torneio, o tutor deve estar atento aos requisitos do regulamento de participação. Para que o cão faça parte e possa adentrar ao parque, é exigida a apresentação da carteira de vacinação em dia. Além disso, é proibido que se arraste o cão ou que se promova qualquer tipo de violência contra os animais, inclusive cuidados com cadelas no cio. As fêmeas em período de gestação são proibidas de competir.

Radke alerta que o exercício não pode ser forçado. “Se deve começar aos poucos. O cachorro não vai fazer 10 quilômetros do nada, porque se ele não tiver o costume, o cão vai se desgastar de primeira e não querer fazer o circuito numa próxima vez”, explica. São aceitos no esporte os cães de todas as raças, inclusive as indefinidas, desde que o animal seja bem cuidado e tenha bom comportamento perante outros competidores.

Programação
2ª etapa – 02/09 (domingo), Horário: 10h
Local: Parque de Exposições Assis Brasil (Pista do Gado Leiteiro)

3ª etapa – 20/09 (quinta-feira), Horário: 14h
Local: Maurício Sirotski Sobrinho (Pista de Rodeio) – Porto Alegre.

O Campeonato Internacional Canicross 2018 é uma parceria da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi), a Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac) e a Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul).

Confira mais informações sobre o esporte e o grupo Vai Totó no site ou nas redes sociais.

Texto: Letícia Bonato
Edição: Gonçalo Valduga/Secom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *